Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 19 de junho de 2012

Sílvia, G4 P3 A0, 39 anos, negra, casada, do lar. Descobriu a gravidez com 5 meses de idade gestacional (fev/2012), achava que o fato de estar em amenorréia se devia à menopausa. Realizou apenas 3 consultas de pré-natal, sendo 2 na Unidade de Saúde e 1 na Maternidade. Possui 3 filhos vivos, Matheus de 8 anos, Vitória de 3 anos e Talita de 1 ano e meio de idade. Matheus não foi amamentado segundo Sílvia porque ela apresentou “empedramento” na mama, o que causou uma infecção muito grave. Vitória “nasceu antes do tempo” e não foi amamentada, pois era muito fraquinha, ficou internada e deste modo, o leite de Sílvia “secou”. Já Talita vem sendo amamentada sem intercorrências inclusive durante a gestação atual.

05 de Março de 2012 (idade gestacional de 6 meses)

Procurou atendimento farmacêutico com queixas de pirose, acentuada após as refeições e durante a noite. Quando questionada sobre náuseas, informou que não havia sentido nenhum problema no início da gestação, bem como não fizera uso de ácido fólico. Neste momento, faz uso de sulfato ferroso e metildopa, por estar com pressão arterial alterada. Pergunta se pode fazer uso de algum medicamento para tratar a pirose.

 

Nesta data, o  cartão de pré-natal registra os seguintes dados:

 

Tipo-RH O – Negativo
Hb-Ht 13,1 – 39,3
Urina tipo I Leucocitúria
Glicemia 92
GTT 75g 100/200/162
HBsAg Não-reagente
VDRL Não-reagente Não-reagente
Toxoplasmose IgG-Positivo / IgM-Negativo IgG-Positivo / IgM-Negativo
DUM = 10/10/2011
 

USG– Gravidez tópica de 21s3d – Peso Estimado Fetal 650gr – Líquido amniótico normal – Placenta posterior, fúndica, heterogênea, Grau I de Grannun.

Pressão arterial 130x80mmHg, glicemia em jejum de 90mg/dL.

 

07 de abril (25 semanas)-

Procura atendimento relatando dor ao urinar. Foi prescrito medicação porém, não foi anotado o nome do medicamento, nem a posologia no cartão de gestante.

 

27 de abril (28 semanas)

Consulta de rotina: PA: 130×80 mmHg, Peso: 75kg, altura: 1,67m,  BCF 144+.  Relata que a pirose diminui, mas tem sentido constipação e tem feito uso de chá de alcachofra, recomendada por uma vizinha. Apresentou gripe forte na última semana, e, como ainda está com sintomas como coriza e tosse, gostaria receber medicação. Além disso, tem dificuldades para dormir, devido à dor nas costas e nas pernas. Apresenta edema de extremidades.

 

30 de maio (33 semanas)

Em consulta de rotina, apresenta os seguintes dados Consulta de rotina: PA: 130×90 mmHg, Peso: 76kg, altura: 1,67m, BCF 140+.   O médico questiona sobre o tipo sanguíneo do pai do bebê, e se foi tomada alguma providência em relação a isso nas gestações anteriores. Sílvia está preocupada com o filho Mateus, que está apresentando pediculose, e pergunta ao farmacêutico qual medicamento pode usar no tratamento.

 

01 de junho (37 semanas)

Consulta de rotina: PA: 140×80 mmHg, Peso: 80kg, altura: 1,67m, BCF 138+. Frente ao aumento da pressão arterial, o médico solicita a internação de Sílvia para acompanhamento mais próximo, pelo risco de pré-eclâmpsia. Prescreve medicações para retardar o parto. Tem alta no dia 14 de junho, com PA controlada.

 

19 de junho (40 semanas) refere dores de forte intensidade em baixo ventre nas últimas duas horas. Não havia registro no cartão quanto à colpocitologia oncótica e imunização antitetânica sendo que, Sílvia não soube informar sua situação vacinal. Referiu não ter ingerido nenhuma suplementação vitamínica além de ferro ou ter frequentado cursos de gestante. Quando questionada sobre medicações usadas durante a gestação não soube informar o nome dos medicamentos utilizados.

O parto cesáreo é realizado sem intercorrências.

 

21 de junho (alta hospitalar). Sílvia recebe prescrições e orientações para o cuidado com a cicatrização da incisão, bem como sobre métodos contraceptivos a serem utilizados no pós-parto e orientações para a amamentação.

 

 

Anúncios

Read Full Post »